Etapas do Processo

Depois de enviar sua proposta pra gente em www.benfeitoria.com/arrecade, confira as próxima etapas do processo:

Pré-campanha

Análise e primeiras orientações

Agora que recebemos seu projeto, vamos fazer uma rápida análise e retornaremos em até 48 horas.

Montagem da campanha de financiamento recorrente

Juntos, vamos alinhar textos, imagens, vídeo e recompensas até que sua campanha esteja redondinha para ser lançada.

Campanha

Publicação

Com a campanha pronta e aprovada, entramos em fase de arrecadação.

Acompanhamento e Manutenção

Fornecemos suporte, dicas e soluções para você alcançar suas metas e garantimos que a colaboração mensal dos assinantes aconteça de forma simples e tranquila.

Transferência mensal

No 5º dia útil de cada mês, te transferimos o valor arrecadado, já descontando a taxa da integradora financeira (aprox. 5%) e a nossa comissão, que quem decide é você. 😉

Proposta de Engajamento

Engajar as pessoas é fundamental para o sucesso de um projeto e esse processo começa antes mesmo da campanha de arrecadação.

Ao produzir o conteúdo da sua campanha, defina muito bem qual o impacto que o seu projeto traz e por que as pessoas teriam interesse em apoiá-lo mensalmente, ou seja, de que forma ele pode gerar engajamento na sua rede. O importante é mostrar que existe interesse coletivo na sua proposta e que ela não é para benefício próprio, exclusivamente. Do contrário, nada disso faria sentido, certo?

Agora como apresentar a proposta de engajamento da melhor maneira possível? Seja conciso, claro e até didático, se necessário. A gente sabe que às vezes é difícil traduzir tudo que imaginamos do nosso projeto em poucos parágrafos, mas isso é extremamente necessário para que outras pessoas tenham interesse em ler e entendam de primeira sobre o que se trata aquela campanha de Financiamento Coletivo Recorrente.

Definição de Metas

A meta financeira da sua arrecadação, além de cobrir o orçamento do projeto, deve considerar também os custos listados abaixo. Faça esse cálculo com muito cuidado para evitar surpresas no final!

  • Custo mensal do projeto;
  • Custo das celebrações e ações de engajamento da rede;
  • Taxa de serviço da integradora financeira (aproximadamente 5% do valor mensal total arrecadado);
  • Taxa de serviço da plataforma (Comissão Livre: nossa sugestão é destinar 8% para a Benfeitoria, mas a palavra final é sua!).

Lembre-se que você pode definir quantas metas quiser. Nossa sugestão é lançar a campanha com pelo menos duas metas definidas. A primeira meta deve ser factível no curto prazo para que se forme um núcleo fiel de primeiros apoiadores e juntos vocês já celebrem essa conquista! A segunda deve contemplar novas conquistas e melhorias desejáveis para que os assinantes enxerguem a possibilidade de expansão do projeto. Depois disso, o céu é o limite! Vá estabelecendo novos patamares aos quais você quer elevar o seu projeto.

A arrecadação não para: a medida que você atinge um valor, a plataforma atualiza para a próxima meta automaticamente e a campanha continua!

Mapeamento de Rede

Uma campanha de Financiamento Coletivo Recorrente evolui na proporção da sua divulgação. Ela exige muito esforço de mobilização de rede e você precisa estar preparado para esse trabalho.

Pessoas decidem virar assinantes de um projeto por diferentes motivos: por ser amigo do responsável, por já conhecer e acreditar no projeto ou por identificação com a causa/trabalho. Por isso, é importante que você liste e entenda os interesses de cada um desses perfis e construa sua campanha contemplando todos eles, ou ao menos os mais significativos. Esse também é o pontapé inicial para desenhar estratégias de comunicação eficientes.